De hobby a negócio: Criador de N.A. comercializa aves exóticas em todo o PR

Cezar Vendrame iniciou a criação de aves exóticas por volta do ano 2000. A princípio tudo terá apenas um hobby que foi ganhando maiores projeções. “Sempre gostei de animais, principalmente de aves. Iniciei com um casal de canários e depois de agapornis. Assim que foram procriando, fui me interessando mais sobre esses bichos e aumentando a minha criação”, disse.
De acordo com o criador, com o decorrer ele foi adquirindo experiência com outros criadores e pesquisando em livros. “Procurei conhecer um pouco de cada animal. Comecei a comprar novas espécies e estudar sobre elas. Muitos não sabem, mas esses animais na sua grande maioria são oriundos da Austrália e com autorização do IBAMA para comercialização no Brasil.”
O que começou apenas por hobby hoje é uma profissão. O criadouro de Cezar fica localizado em sua residência na Rua Pará, nº400. Atualmente em seus viveiros encontram mais de 800 pássaros em diferentes espécies. Os animais são vendidos em casas veterinárias de Cascavel, Toledo, Umuarama, Maringá, Curitiba e municípios da região. “São animais de qualidade, todos são comercializados com uma anilha (espécie de anel) que informa a procedência e a genética de cada um. Os animais apresentam variadas formas de cor. Isso são resultados de experiências em cruzamentos. Quanto mais rara for à cor, maior é o preço de mercado”, completou Cezar.
Segundo ele os preços variam também de espécie para espécie. Cada Agaporni comum é vendido por R$ 25,00 já as Calopcitas são vendidas em média pelo preço de R$ 70 até R$ 150,00, como é o caso da espécie albina. “Para chegar num animal como esse é preciso uma combinação genética pura. É um animal raro e muito procurado.”
O exame de DNA também aponta o sexo dos animais. Cezar afirma que a distinção entre machos e fêmeas não é muito fácil, porque em alguns casos as carateristicas serem muito parecidas.

Cuidados

Para Cézar que a criação exige muita atenção. Os cuidados vão desde a temperatura das gaiolas, até mesmo a alimentação. As aves gostam muito de calor, mas não em excesso a temperatura do início do ano sempre é favorável até mesmo para chocar os ovos. Outro cuidado importante é que no caso das calopsitas, cada casal deve ficar numa gaiola separada, para não haver risco de um ocupar o espaço do outro.

Alimentação
O alimento preferido dos animais são sementes de girassol e painço. A alimentação é produzida num sítio do próprio criador. Muitos criadores compram de Cezar o cereal.
No caso dos animais mais novos é importante colocar ovos cozidos para as mães alimentarem os filhotes que ainda não tem força para consumir os grãos

Sonho
Um dos sonhos do criador é fazer de sua criação um local de encontro e visitação de famílias e admniradores de aves. “É difícil encontrar uma pessoa que não fica encantada com as aves. Muitos gostariam de ter, mas não tem conhecimento. Um local como esse alem de ser um local de encontro, pode aproximar mais as pessoas dos animais, fugindo assim da rotina do dia-a-dia”, finalizou.

Autor: Redação

Fonte:http://www.jintegracao.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *